O dragãozinho traz textos de cultura pop, abordando temas como livro, filmes, séries e quadrinhos, além de alguns posts de assuntos diversos.

Tá Todo Mundo Mal – Jout Jout [Resenha]


Tá Todo Mundo Mal

Do alto de seus 25 anos, Julia Tolezano, mais conhecida como Jout Jout, já passou por todo tipo de crise. De achar que seus peitos eram pequenos demais a não saber que carreira seguir. Em Tá todo mundo mal, ela reuniu as suas “melhores” angústias em textos tão divertidos e inspirados quanto os vídeos de seu canal no YouTube, “Jout Jout, Prazer”. Família, aparência, inseguranças, relacionamentos amorosos, trabalho, onde morar e o que fazer com os sushis que sobraram no prato são algumas das questões que ela levanta. Além de nos identificarmos, Jout Jout sabe como nos fazer sentir melhor, pois nada como ouvir sobre crises alheias para aliviar as nossas próprias!

Companhia das Letras


Tá Todo Mundo Mal

“Comecei a escrever sobre a minha vida, testei várias formas diferentes e tudo me parecia ridículo porque lembrei tardiamente de um pequeno detalhe: tenho 25 anos e nada do que fiz até agora é importante o bastante para colocar em um livro.”

Há algum tempo que acompanho o canal da Jout Jout e sempre gostei dos vídeos. Quando vi o anúncio de que ela lançaria um livro, tive aquela mistura de sentimentos. De “nossa que legal, adoro o canal dela” com “meu Deus, mais um livro de youtuber”. Devo dizer que não li outros livros escritos por youtubers, mas vendo as reclamações e os trechos extremamente problemáticos de alguns deles, fiquei com um certo receio. MAS, pensei eu, o livro dela não teria esse tipo de problema. No pior dos casos, ele só não seria interessante.

 

“Todos os youtubers brasileiros do mundo lançaram livros. Para cada semana em que eu não sabia sobre o que escrever, um novo livro escrito por um youtuber era lançado, e comecei a achar que fazia parte de uma seita mas que ninguém se lembrou de me avisar.”

Mas não me decepcionei. As crises das quais o livro fala são dramas do dia a dia, alguns grandes, como ter que escolher uma carreira. Outros menores, como a possibilidade de ter seu livro lido pelo Gregorio Duvivier. Até uns menores ainda, como deixar o dinossauro do Tamagotchi morrer.

Primeiro, preciso falar que achei o livro muito bonito. A escolha de cores foi excelente e combinou muito com o estilo de livro “descontraído” que é. Assim como a capa, as primeiras páginas, de apresentação e sumário, são de um amarelo bem vivo e as entradas de capítulos (ou crises), têm um fundo preto com as letras brancas. A diagramação toda é muito bonita e agradável de ler.

Jout Jout - Tá Todo Mundo Mal

Quanto ao conteúdo, Tá Todo Mundo Mal fala sobre diversas situações. Conta casos que aconteceram com a autora mo jardim de infância, outros muito engraçados da adolescência, e até os dramas de se tornar adulta.

“Quando você não sabe juntar qualidades fora do padrão com um emprego formal, essa procura pode se tornar bem frustrante. Você vai descobrindo que os talentos de uma pessoa nem sempre se resumem a ser bom em cálculo, ter boa memória ou desenhar bem.”

Quanto ao público do livro, pessoas nos seus 20 e poucos anos deve se identificar com diversas das situações apresentadas. O intuito dele não é ensinar a resolver os problemas, mas dizer “olha só, também passei por isso”.

É interessante perceber como na maioria das vezes, quando passamos problemas gigantescos para o papel, eles se tornam uma historinha de duas páginas que no final chega a ser engraçada. Quem assiste aos vídeos dela, já está acostumado com a forma suave e principalmente sincera de tratar os assuntos. E a abordagem no livro não foi diferente.

“Tudo isso porque demorei para descobrir que as coisas que faço com meu corpo são para meu desfrute exclusivo e nada têm a ver com meus amigos, família e muito menos com os colegas de classe.”

Tá Todo Mundo Mal - Jout Jout

Mas que crises são essas

São um total de 46 crises. Algumas são apenas engraçadas, mas outras trazem assuntos importantes, como “A crise do medo da possibilidade de um estupro”, que pelo título, já dá para imaginar do que se trata. “A crise da possível polêmica de uma siririca” fala sobre quando ela gravou um vídeo com algumas meninas de outro canal e, em dado momento, uma delas faz um gesto que indicava uma siririca. A intenção inicial era colocar essa cena em câmera lenta, mas surgiu o medo de uma polêmica, pelo assunto ainda ser tabu. Mas o interessante dessa parte não é só a citação do tabu, mas do fato de Julia ter percebido que até ela, considerada uma “destabuzadora”, se sentia desconfortável perto de determinados tabus que ainda precisavam ser “destabuzados”. Basicamente, ninguém é perfeito e totalmente desconstruído.

“Como todo bom jovem, ela não sabia o que queria fazer da vida.”

Em “A crise das marcas que não entendem”, ela aborda o assunto do merchan em canais do Youtube. Fala sobre empresas que a procuram para fazer propagandas e pedem orçamento sem falar de qual marca se trata. Ela também explicou que não aceita propostas de marcas que não a representem ou com as quais não concorde. Mas jogar dinheiro fora por causa de princípios? Pois é.

No final, minha história preferida foi “A crise constante que era ter um Tamagotchi”. É só uma história engraçadinha sim, mas tive o mesmo problema da pressão de deixar meu bichinho morrer sempre. Muito frustrante.

“Eu perdia meu Tamagotchi, esquecia meu Tamagotchi, molhava meu Tamagotchi, mas acima de tudo eu amava meu Tamagotchi. Tudo que eu queria era vê-lo forte, saudável, alimentado e feliz. Mas não é fácil ser mãe aos seis. Na escola, encontrei grandes dificuldades para conciliar os estudos com a maternidade.”

O livro é bem casual, não busca dar exemplo de vida nem ensinar nada a ninguém. A escrita é descontraída e consegue seguir o mesmo estilo dos vídeos. O que é interessante porque afinal, é um livro escrito por uma youtuber. Se precisasse descrever ele em poucas palavras, diria que é confortante, dá aquela sensação de “tá tudo errado na minha vida, mas ok”.

Tá Todo Mundo Mal - Jout Jout

“É natural que em um grupo de amigos uma pessoa se aproxime mais de outra, sem impedir que a amizade continue para todos. Amadurecer tem dessas coisas.

Agora falta aprender como se declara imposto de renda.”


Tá Todo Mundo Mal - Jout JoutDetalhes

Título original: Tá Todo Mundo Mal – O Livro das Crises

Autor: Jout Jout

Gênero: Crônicas

Páginas: 200

Editora: Companhia das Letras

Publicação: 2016

Relacionados

Have any Question or Comment?

2 comments on “Tá Todo Mundo Mal – Jout Jout [Resenha]

Oi, eu vi um vídeo que diz que tem muita coisa repetida do canal. Tem mesmo?
Bjs, Rafa

Reply

O livro é bem pessoal e fala sobre coisas que aconteceram com ela, então tem uma ou outra que ela já havia mencionado no canal antes, mas não diria que é “muita coisa” nem que isso comprometa a leitura, porque mesmo que algo tenha sido citado nos vídeos, a abordagem do livro é um pouco diferente.

Reply

Deixe uma resposta para ohmylivros Cancelar resposta

%d blogueiros gostam disto: