O dragãozinho traz textos de cultura pop, abordando temas como livro, filmes, séries e quadrinhos, além de alguns posts de assuntos diversos.

A Revolução dos Bichos – George Orwell [Resenha]


Escrita em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945 depois de ter sido rejeitada por várias editoras, essa pequena narrativa causou desconforto ao satirizar ferozmente a ditadura stalinista numa época em que os soviéticos ainda eram aliados do Ocidente na luta contra o eixo nazifascista. Com o acirramento da Guerra Fria, as mesmas razões que causaram constrangimento na época de sua publicação levaram A revolução dos bichos a ser amplamente usada pelo Ocidente nas décadas seguintes como arma ideológica contra o comunismo. O próprio Orwell, adepto do socialismo e inimigo de qualquer forma de manipulação política, sentiu-se incomodado com a utilização de sua fábula como panfleto.

Companhia das Letras


A Revolução dos Bichos

Embora a sinopse fale muito sobre política e use palavras difíceis, a história de A Revolução dos Bichos é bem mais simples, além de ter uma linguagem fácil, remetendo realmente às fábulas com animais.

Quando comecei a ler, esperava algo bem mais denso como em “1984”, mas acabei me deparando com uma escrita mais leve, o que na verdade achei muito interessante, combinou com a alienação dos animais que eram enganados diariamente.

Embora a analogia feita seja especificamente relacionada ao stalinismo, não é necessário conhecer sua história para aproveitar o livro, as referências poderem ser utilizadas para diversas situações do cotidiano.

Capa - A Revolucao dos Bichos - George Orwell

Começando pela explicação de George Orwell sobre porque ele escolheu animais para sua história:

“[…] no dia em que vi um menino de uns dez anos guiando por um caminho estreito um imenso cavalo de tiro que cobria de chicotadas cada vez que o animal tentava se desviar. Percebi então que, se aqueles animais adquirissem consciência de sua força, não teríamos o menor poder sobre eles, e que os animais são explorados pelos homens de modo muito semelhante à maneira como o proletariado é explorado pelos ricos.”

O livro começa com um pronunciamento feito por um dos animais, que fala em um futuro próspero, uma revolução e uma promessa de liberdade, instigando as emoções de todos. Como animais do campo, eles trabalham diariamente, recebem comida apenas o suficiente para sobreviver e o resto é usufruído pelos humanos.

Quando a revolução realmente acontece, a ideia é de que todos os animais são iguais e qualquer coisa que remeta aos humanos é proibida. A primeira semelhança com a realidade, que não se limita ao stalinismo, ou até mesmo à política, é que alguns animais aprendem a ler e escrever, outros aprendem com alguma dificuldade e a maioria nunca aprende, se limitando a repetir o que é ensinado pelos outros. E claro, isso é utilizado em favor daqueles que sabem ler, que fazem uso de sua influência sobre os outros para benefício próprio.

“Os porcos não trabalhavam, propriamente, mas dirigiam e supervisionavam o trabalho dos outros. Donos de um conhecimento maior, era natural que assumissem a liderança.”

A Revolução dos Bichos
Ilustração de Ralph Steadman

A história poderia muito bem ser utilizada como uma sátira à humanidade em si. Quando os animais começam a questionar algo no novo funcionamento da fazenda, são sempre calados com o medo e a ameaça de que Jones, o antigo dono da fazenda, poderia voltar. Além disso, há a rejeição do desconhecido. Logo no início, os animais proíbem o consumo de álcool, o uso de roupas e camas, até que enfim conhecem e usufruem dessas coisas, fazendo alterações nas leis para que então seja permitido.

A Revolução dos Bichos
Ilustração de Ralph Steadman

“Esse trabalho era estritamente voluntário, porém o bicho que não aceitasse teria sua ração diminuída pela metade.”

No final do livro há um posfácio escrito por Christopher Hitchens em 2006 e um apêndice com dois prefácios que George Orwell havia escrito para o livro.

Hitchens cita alguns países onde o livro ainda era proibido em 2006, e Orwell comenta sobre a sua dificuldade em publicar o livro, que foi rejeitado mais de uma vez sob desculpas diversas, embora a razão sempre fosse o medo da crítica ao stalinismo. Houve um tempo onde a história foi também considerada uma crítica ao socialismo como um todo, enquanto a intenção de Orwell era “retomar” o ideal socialista, que se perdia em atos errôneos.

“Essas pessoas não veem que, quando se endossam métodos totalitários, pode chegar um momento em que deixarão de ser usados a favor para se voltarem contra o indivíduo.”

A Revolução dos Bichos
Ilustração de Ralph Steadman

O livro é curto e a escrita é bem simples, a proposta de Orwell era explicar o que ocorreu na Rússia de uma forma simples e em linguagem fácil, então não é necessário conhecimentos de história ou política para poder aproveitar a leitura.

“Guerra é guerra. Humano bom é humano morto.”

*As ilustrações são de Ralph Steadman e foram retiradas do site Brain Pickings.

Avaliação: ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️


Capa - A Revolucao dos Bichos - George OrwellTítulo original: Animal Farm: A Fairy Story

Autor: George Orwell

Tradução: Heitor Aquino Ferreira

Gênero: Ficção

Páginas: 152

Editora: Companhia das Letras

Publicação: 1945


A leitura desse livro foi parte da Maratona Literária de Inverno | #MLI2016

Relacionados

Have any Question or Comment?

17 comments on “A Revolução dos Bichos – George Orwell [Resenha]

Esse livro! 😍😍😍😍😍

guloseimasnerds.wordpress.com

Reply

Livro sensacional. Resenha muito boa. Parabéns.

Reply

Obrigada! Gostei bastante do livro também 😀

Reply

Excelente Post ! Estou curtindo bastante lendo os posts deste blog, são todos muitos legais e interessantes, sempre gostei de blogs assim.

Parabéns !

Reply

Ainda não li os “principais” do Orwell (esse e 1984), mas li Na pior em Paris e em Londres, e a coleção de ensaios Como morrem os pobres. Grande escritor. Esse livro tá na minha lista há um tempo, preciso comprar ou procurar em bibliotecas da vida. Um cara que conseguiu ser censurado (e mal interpretado) tanto pelos capitalistas quanto pelos comunistas só pode ter tocado em algum tipo de verdade.

Reply

Eu sou ao contrário, só li esse 1984, mas estou com todos dele na fila para ler ainda. O livro não é grande, então dá para ler ele rapidinho, e a história realmente pode ser interpretada como uma crítica a diversos estilos de governo (ou até qualquer tipo de liderança)

Reply

Revolução dos Bichos é maravilhoso demais. QUando estava no ensino médio (primeiro ano), era livro obrigatório e na época eu acho que não gostei por isso. Mas depois que reli, acabei percebendo o quão maravilhosa é a construção e a propriedade do George nessa narrativa.

ótima resenha. <3

Reply

Essa coisa de leitura obrigatória entrava muito livro 🙁 e acho que esse também exige uma maturidade maior pra poder ser aproveitado, se não pode parecer até uma história meio boba

Reply

Li esse livro há pouco tempo, também, e não sei porque demorei tanto pra fazer isso. Eu achei tão incrível a ideia de transformar as nossas ações em atos dos animais… Faz a gente enxergar tanta coisa… Como você disse, não precisa ser uma crítica, necessariamente, ao governo de Stalin. É uma crítica à humanidade. Porque vemos tanto da atualidade nessa história…
Acho que todo mundo deveria ler esse livro. É curto, simples, mas tem uma importância enorme pra gente.
Adorei sua resenha!
Beijos!! :*

Reply

Eu li esse livro só quando entrei na faculdade por indicação de uma prof que eu gostava bastante. Fiquei triste de nunca ninguém ter me indicado antes, porque a leitura é simplesmente maravilhosa. Ensina conceitos de política da forma mais simples e direta possível.

Reply

Oi Simone! Eu li esse livro faz pouco tempo e comigo foi o contrário, depois dele parti para o 1984 e não consegui terminar, achei a escrita muito pesada e o livro muito parado! Gostei bastante da revolução dos bichos, seria muito engraçado se isso acontecesse de verdade, mas confesso que fiquei com muita raiva em vários momentos do livro! Vc tbm não ficou??? Bjoo
http://www.taviajandomenina.com.br

Reply

Eu AMO esse livro! As metáforas, tudo…sou completamente apaixonada! <3

Reply

Orwell é provavelmente um dos meus escritores preferidos, e o primeiro livro que li dele foi esse. De fato, uma maravilha de obra, muito simples na linguagem mas carregada de significado. Se você quiser continuar mergulhando nesse autor recomendo muito “A flor da Inglaterra”, se ainda não leu! É meu preferido dele, sem duvidas!
Beijos!

Reply
Simone Pinheiro

Não li não! Antes desse só tinha lido o 1984, mas me interessei bastante por ler os outros livros dele, vou procurar por esse, obrigada pela dica!

Reply

Oi, Simone
Orwell sempre será um clássico.
Uma escrita inteligente, que transforma uma fábula em algo que deve ser lido e entendido por todas a gerações.
Gosto muito desse livro.
Obrigada por participar do #desafioalfabetoliterario

Reply

Obra genial… Ainda hoje é muito atual mesmo tendo sido escrita há décadas atrás. Vale cada minuto da leitura.

Reply

Sempre tive receio de ler esse livro porque achava que tinha aquela linguagem cansativa que os clássicos normalmente tem, mas depois dessa resenha pretendo colocar o livro na minha lista de futuras leituras com certeza

Reply

Deixe uma resposta