O dragãozinho traz textos de cultura pop, abordando temas como livro, filmes, séries e quadrinhos, além de alguns posts de assuntos diversos.

Maus – Art Spiegelman [Resenha]


Banner Maus

Maus (“rato”, em alemão) é a história de Vladek Spiegelman, judeu polonês que sobreviveu ao campo de concentração de Auschwitz, narrada por ele próprio ao filho Art.

Nas tiras, os judeus são desenhados como ratos e os nazistas ganham feições de gatos; poloneses não-judeus são porcos e americanos, cachorros. Esse recurso, aliado à ausência de cor dos quadrinhos, reflete o espírito do livro: trata-se de um relato incisivo e perturbador, que evidencia a brutalidade da catástrofe do Holocausto.

Companhia das Letras – Quadrinhos na Cia.


Maus começa quando Art Spiegelman, o autor dos quadrinhos, visita seu pai Vladek, que já está com idade avançada e complicações de saúde. Art é quadrinista e tem interesse em escrever sobre a história do pai, que sobreviveu à Segunda Guerra Mundial e aos campos de concentração. O livro alterna entre o “presente”, momento em que Art conversa com seu pai e faz anotações para os quadrinhos e o “passado”, mostrando Vladek antes e durante a guerra.

A narrativa de Vladek começa em Sosnowiec, na Polônia, alguns anos antes do confronto começar. A história mostra como ele conheceu sua esposa, quando tiveram seu primeiro filho, onde moravam e como trabalhavam, para então lentamente abordar sua decadência ao longo da guerra e o terror vivido pelos judeus.

Mapa apresentado na contra capa do livro.
Mapa apresentado na contracapa do livro.

Maus mostra todas as dificuldades dos judeus na época, as medidas que eram tomadas pelo governo em tentativas de aniquilá-los, como conseguiam comida e como se escondiam quando necessário. O avanço da guerra foi rápido e logo os guetos (onde eles viviam) estavam sendo atacados. E quem não morria, era levado para os campos de concentração. Durante toda a história, as personagens lutam por sobrevivência e diversas delas vão lentamente morrendo ou desaparecendo.

 

Página MausA narrativa e a descrição da guerra são cruas, não há qualquer tentativas de dramatização, já que os próprios acontecimentos falam por si só. Depois que Vladek é capturado, ele narra as condições em que os prisioneiros viviam. Ao invés de focar nos acontecimentos históricos, são mostrados os detalhes. Que tipo de trabalho eles desempenhavam, o que recebiam para comer, o que vestiam, onde dormiam e o frio que fazia.

Vladek fala dos guardas, as trocas de favores, a fome, como escondia a comida quando necessário, as doenças que contraiam e as mortes de seus conhecidos. Em dado momento, descreve com detalhes como funcionavam as câmaras de gás.

Todo o livro é contado de forma direta, focando no dia a dia e na sobrevivência, mostrando cada acontecimento de forma simples e precisa.

Quanto à escolha dos animais para a representação das personagens, durante uma propaganda nazista, os judeus foram comparados com ratos.

Cartaz de propaganda nazista
Na imagem: “[Quem está] Por trás das forças inimigas: O Judeu”.

“Em uma das sequências mais notórias do filme “O Judeu Eterno” (Der Ewige Jude) os judeus eram comparados a ratos que transmitiam doenças contagiosas, abarrotavam os continentes e devoravam seus preciosos recursos.”

As propagandas serviam para dar apoio às leis que classificavam os judeus como classe inferior, evitando revoltas da população.

“Na Polônia ocupada, a propaganda nazista reforçava a política de confinar os judeus aos guetos, retratando-os como uma ameaça à saúde pública que exigia quarentena.”

Trechos e imagem retirados do United States Holocaust Memorial Museum.

Os quadrinhos foram lançados em duas partes, em 1986 e 1991, mas atualmente é vendido em uma compilação de 296 páginas.

 


Capa MausDetalhes

Título original: Maus

Autor: Art Spiegelman

Ilustrações: Art Spiegelman

Tradução: Antonio de Macedo Soares

Gênero: Quadrinhos – Biografia

Páginas: 296

Editora: Companhia das Letras – Quadrinhos na Cia

Publicação: 1986 – 1991

Relacionados

Have any Question or Comment?

One comment on “Maus – Art Spiegelman [Resenha]

Faz tempo que quero ler. Sempre que vou a livraria fico namorando e nunca compro, acho que vou tirar esse título da minha lista de pendência.

Reply

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: